12/12/19 - Empregados da Caesb entregam presentes para crianças do Projeto Golfinho

Projeto existe há 18 anos na Empresa e já beneficiou cerca de 23 mil crianças e adolescentes

Cerca de 80 crianças e adolescentes do Projeto Golfinho do núcleo de Ceilândia receberam ontem (11/12) pela manhã dos empregados da Caesb os presentes de Natal que haviam pedido. A entrega aconteceu na sede da Empresa, em Águas Claras, e fez parte da Campanha Solidária de Natal, que atendeu os pedidos feitos pelos alunos por meio de cartas escritas por eles.

As 380 cartinhas dos integrantes do Projeto Golfinho foram colocadas em “caixas de correio” distribuídas em diversas unidades da Caesb. Os empregados puderam escolher uma ou mais cartas para responder e realizar o pedido de Natal, e os presentes foram, então, depositados em pontos de entrega. Brinquedos, cestas básicas, material escolar, roupas e calçados foram os itens mais pedidos. A Campanha Solidária de Natal acontece há 4 anos na Companhia.

O Projeto Golfinho existe há 18 anos na Caesb e tem como principal objetivo a construção da cidadania de crianças em situações de vulnerabilidade, tanto financeira quanto emocional, por meio do esporte e de apoio pedagógico para atividades escolares. Os alunos frequentam o projeto duas vezes por semana no turno contrário ao da escola.  Neste período, eles têm aula de natação, futebol, participam de jogos lúdicos e recebem apoio pedagógico para atividades escolares, além de aprenderem sobre educação ambiental. Os participantes também recebem lanche e um kit com touca, sunga ou maiô, toalha, prancha, espaguete e bolsa para as aulas de natação.

Atualmente, o Projeto atende crianças e adolescentes de 6 a 16 anos nas regiões de Ceilândia, Itapoã e Paranoá. Os participantes de Ceilândia realizam suas atividades no núcleo daquela cidade. Já os alunos do Itapoã e Paranoá permanecem no Itapoã até os 10 anos. Após essa idade, são transferidos para o núcleo do Israel Pinheiro, no Lago Sul. O transporte é fornecido pela Caesb para que os participantes possam chegar aos núcleos. Ao completarem 14 anos, os adolescentes são encaminhados para o projeto Empregado Aprendiz e podem trabalhar na Caesb ou em outros órgãos do governo.

Entre os presentes no evento, estavam as gêmeas Larissa e Laísa. Atualmente com 13 anos, elas participam do Golfinho há 6 anos. As duas adoram fazer parte das atividades esportivas oferecidas no núcleo de Ceilândia. “O projeto nos ajuda a desenvolver o comportamento e o aprendizado”, defende Larissa. As duas pretendem continuar no Golfinho até o ano que vem e depois planejam seguir para o Empregado Aprendiz.

Quem também estava na comemoração era o golfinho Kaiki. Com 11 anos, ele havia pedido uma bola e estava radiante com o presente. “Agradeço muito ao meu padrinho por ter escolhido minha cartinha”, comemorou.  Já Paulo Henrique, de 14 anos, fez pose com o casaco que ganhou. Ele já participou da seleção para o Empregado Aprendiz, foi aprovado e está esperando ser chamado para trabalhar. A golfinho Nicole, de 13 anos, que pediu uma pipoqueira, não conseguia parar de chorar quando recebeu seu presente. “Meu sonho era ter uma pipoqueira”, vibrou a jovem.

A coordenadora do Projeto, a empregada Terezinha Viegas, explica que as crianças e adolescentes são recebidos com muito cuidado e carinho num período de desenvolvimento de suas vidas e que, por isso, a formação humana é priorizada no projeto. “Transmitimos princípios e valores que fortalecem essas crianças, para que possam dizer não à marginalidade que convida nos dias atuais”, orgulha-se.

A entrega das doações para as crianças do núcleo do Itapoã e do Paranoá aconteceram nos dias 9 e 10 de dezembro, no Centro de Convenções Israel Pinheiro, no Lago Sul.

    

Fotos: Marco Peixoto

18/12/19 - Caesb leva atendimento via aplicativo WhatsApp para Sobradinho

Moradores da Região Administrativa passaram a usar o serviço que começou neste mês 

 

A Caesb beneficia mais uma cidade do Distrito Federal com atendimento via WhatsApp. Desta vez, o local escolhido foi Sobradinho. O número é (61) 98480-5115.

O serviço foi lançado no dia 1º de outubro deste ano nas cidades de Samambaia e Planaltina, como parte da política da Companhia de oferecer aos clientes um serviço de excelência. Em novembro, o atendimento foi estendido para a Ceilândia.

O Escritório de Sobradinho atende as cidades de Sobradinho e Sobradinho II, incluindo Fercal e Grande Colorado, e possui 38.300 ligações ativas de água e 23.292 ligações de esgoto.

Os serviços mais solicitados nesta RA são conserto de cavalete, recomposição de calçada pela manutenção, construção de ramal, verificação de falta d’água no imóvel, vistoria de remanejamento, alteração de dados cadastrais, revisão de contas, corte e lacre de hidrômetros.

Desde a implantação do atendimento via WhatsApp em outubro até o dia 17 dezembro, 730 usuários já haviam utilizado o aplicativo para solicitar serviços, sendo que muitos deles tiveram mais de um tipo de demanda. No total, foram recebidas 6.295 mensagens.

Os serviços mais solicitados por esse canal de atendimento ao cliente foram desobstrução de rede de esgoto, alteração de titularidade, informações sobre parcelamento, religação, solicitação de vistorias comerciais e de manutenção, e segunda via de contas.

O gerente substituto de Procedimentos, Controle e Informações Comerciais da Caesb, Tiago Portes, explica que a população está ficando cada vez mais familiarizada com o uso do WhatsApp para a demanda de serviços na Caesb. “O número de solicitações cresceu muito e nossa expectativa é de que continue aumentando, uma vez que o cliente economiza tempo utilizando esse tipo de canal de atendimento”, conclui.


 

06/01/20 - Caesb é parceira em pesquisa sobre o consumo de drogas ilícitas

DF foi a primeira unidade da federação a participar de estudo

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) é parte integrante do estudo a ser desenvolvido pela Universidade de Brasília e Polícias Federal e Civil do DF, em parceria com o Ministério da Cidadania e do Instituto Nacional de Ciências e Tecnologias Analíticas Avançadas (INCTAA), numa pesquisa sobre o consumo de drogas ilícitas no País.  No estudo serão analisadas amostras de esgotos coletadas em seis cidades brasileiras. O Distrito Federal é pioneiro na participação deste tipo pesquisa uma vez que a Caesb já tem colaborado em estudos dessa natureza nos últimos 10 anos.

Além do DF, as cinco cidades escolhidas para o estudo inicial são Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), São Carlos (SP), Campinas (SP) e Natal (RN). Além do apoio institucional, dois empregados da Caesb também fazem parte da equipe de pesquisadores envolvidos com o projeto. A pesquisa tem como objetivo identificar as substâncias secretadas pelo organismo de usuários de drogas, uma vez que as drogas, depois de metabolizadas, são excretadas pela urina, chegando ao esgoto. As informações produzidas pela análise de esgotos buscam complementar os dados gerados pelos métodos tradicionais usados para se estimar a evolução do consumo de drogas.

Para o professor do Instituto de Química da Universidade de Brasília (UnB), Fernando Fabriz Sodré, um dos responsáveis pelo estudo, a participação da Caesb sempre foi essencial ao desenvolvimento e consolidação desta linha de pesquisa nos últimos dez anos, já que a primeira etapa para a obtenção dos resultados envolve a amostragem representativa do esgoto que chega nas estações de tratamento. A amostragem deve ser realizada de maneira composta, o que só é possível com amostradores automáticos refrigerados disponibilizados pela Caesb.

“A partir do ano que vem, conseguiremos expandir esta linha de pesquisa para outras regiões do país e, nesta nova etapa, a Caesb continuará sendo importante, não apenas para manutenção das amostragens periódicas, mas também para se colocar como uma empresa de referência em termos de pesquisa frente às outras companhias de saneamento que poderão participar do projeto”, exalta Fernando.

O professor explica que um diferencial importante da pesquisa é que são medidas substâncias oriundas do pós-consumo das drogas, o que oferece a possibilidade de uma investigação a curto prazo, com dados produzidos em tempo quase real. “Hoje conseguimos, por exemplo, observar a variação de consumo durante vários dias consecutivos, identificando a influência de finais de semana, de eventos sociais e de feriados nacionais sobre o consumo de drogas”, explica.

Para o diretor de Operação e Manutenção da Caesb, Carlos Eduardo Borges, essas parcerias refletem o interesse da Companhia no apoio e na cooperação com outros órgãos do Governo, local e federal, para o enfrentamento de problemas relacionados ao uso de drogas ilícitas. “A Caesb incentiva a inovação e o uso de novas tecnologias para a identificação dos componentes dos esgotos domésticos, uma vez que vários cursos d’água, além de receptores de esgotos, tornaram-se mananciais de abastecimento de água”, defende Carlos Eduardo.


ESTUDOS ANTERIORES

Em 2012, uma cooperação entre o Instituto Nacional de Criminalística e as Universidades de Campinas (UNICAMP) e de Brasília (UnB) estimou, pela primeira vez no Brasil, o consumo de cocaína por meio da análise do esgoto. As amostras de esgoto bruto foram coletadas em seis estações de tratamento da Caesb, responsáveis por atender cerca de 70% da população do DF. Os resultados revelaram um consumo de 1080 mg/dia/1000 habitantes.

O estudo, conhecido como epidemiologia do esgoto, oferece um valor numérico relativo ao consumo de uma droga, possibilitando a construção de um mapa de consumo, uma vez que as amostras de esgotos são coletadas em diferentes ETEs que atendem diversas regiões do DF. O estudo revelou, na época, um consumo de cocaína per capita mais elevado nas regiões norte de Brasília e Samambaia, onde a população é atendida pelas ETEs Asa Norte e Samambaia, respectivamente. Os valores foram duas vezes maiores que o consumo de cocaína pela população atendida pelas ETEs Planaltina e Riacho Fundo. Outro dado observado é que o consumo de cocaína no fim de semana é maior do que em outros dias da semana, o que pode indicar um aumento do uso recreativo da droga nesse período.
 

24/01/20 - Caesb leva atendimento via aplicativo WhatsApp para Taguatinga

Moradores da RA passaram a usar o serviço que começou dia 20 de janeiro 

A Caesb beneficia mais uma cidade do DF com atendimento via WhatsApp. Desta vez, o local escolhido foi Taguatinga. O número é (61) 98480-5115.

O serviço foi lançado no dia 1º de outubro de 2019 nas cidades de Samambaia e Planaltina, como parte da política da Companhia de oferecer aos clientes um serviço de excelência. Em novembro, o atendimento foi estendido para a Ceilândia e, em dezembro, para Sobradinho.

O Escritório de Taguatinga atende as cidades de Taguatinga (Centro, Norte e Sul), Vicente Pires e Águas Claras, e possui 116.589 ligações ativas de água e 103.926 ligações ativas de esgoto.

Entre os serviços solicitados nesta RA, no ano passado, estão corte de água a pedido do cliente, revisão de contas e vistorias. Em 2019, foram abertas 39.566 solicitações de ordens de serviço, sendo 9.769 para Águas Claras, 21.674 para Taguatinga e 8.123 para Vicente Pires.

Desde a implantação do atendimento via WhatsApp, em outubro passado até o dia 20 de janeiro, 1.050 usuários já haviam utilizado o aplicativo para solicitar serviços, gerando 400 ordens de serviço, sendo que muitos deles tiveram mais de um tipo de demanda. 

A gerente de Procedimentos, Controle e Informações Comerciais da Caesb, Drielle da Silva, explica que o uso do WhatsApp faz parte da busca permanente da Caesb em melhorar o atendimento ao cliente e atender as demandas no menor tempo possível. “O número de solicitações cresceu muito e nossa expectativa é de que continue aumentando, uma vez que o cliente economiza tempo utilizando esse tipo de canal de atendimento”, conclui. 

27/02/20 - Barragem de Santa Maria está vertendo. Em 2019, o evento ocorreu no mês de maio

A Barragem de Santa Maria verteu nesta quinta-feira (27). O volume útil de água desta barragem é de 45,5 milhões de m3. O Sistema Santa Maria (Santa Maria/Torto) é responsável por 27% do abastecimento do DF e possui uma vazão de 1.470 l/s de água. Devido ao grande volume de chuvas deste ano, o extravasamento aconteceu mais cedo do que em 2019, quando o evento foi observado em 17 de maio.

"É uma excelente notícia para a população do Distrito Federal e especialmente para a Caesb, porque Santa Maria tem sido utilizado como uma reserva técnica para o período de estiagem. Por isso, a importância de ter atingido 100% de sua capacidade", afirmou o diretor de Operação e Manutenção da Caesb, Carlos Eduardo Borges.

A água excedente do reservatório Santa Maria segue para o córrego Três Barras. De lá, se junta com o Ribeirão Tortinho, formando o Ribeirão do Torto, onde há captação da Caesb.

No auge do período de estiagem, em novembro de 2017, o Santa Maria chegou à cota de 1.064,17 m, ou seja, 21,6% do seu volume útil.

A Barragem de Santa Maria está localizada dentro do Parque Nacional de Brasília e faz parte das bacias do Paraná, Paranaíba e Corumbá. Essa barragem possui um espelho d’água de 7,65 Km2 e uma área de drenagem de 101 Km2. Por ser uma água de excelente qualidade, a Caesb realiza o tratamento dessa água com poucos elementos químicos.

Clique na imagem abaixo para assistir o vídeo da barragem vertendo:

Imagens: Divulgação (Caesb)

 

Pagina 10 de 40