08/05/20 - DF vai ganhar novo reservatório de água na região central de Brasília



Segundo a Caesb, o tanque terá capacidade de 30 mil m³ na Estação de Tratamento de Água (ETA) Brasília

Gizella Rodrigues, da Agência Brasília
 

A Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) quer garantir o abastecimento do Distrito Federal pelos próximos 50 anos pelo menos, mesmo com o surgimento de novos empreendimentos e crescimento da população.

Para isso, está construindo um novo reservatório com capacidade de 30 mil m³ na Estação de Tratamento de Água (ETA) Brasília, responsável pelo fornecimento de água para quase 30% da população do DF.

O novo reservatório, que é dividido em duas partes, vai substituir um dos três tanques da estação, o R1, em funcionamento desde 1960 e que chegou ao final de sua vida útil. O desgaste de mais de meio século de uso comprometeu sua capacidade. Já não é mais possível usar a altura máxima e o reservatório, que também armazenava 30 mil m³, opera com 70% de sua capacidade e guarda apenas 21 mil m³ de água.

“É uma questão de segurança, ele até poderia operar com mais água, mas pela sua idade existe um risco de colapso da estrutura”, afirma Rodrigo Paiva Oliveira Depri, gerente da Caesb e gestor do contrato de execução do reservatório.

O novo reservatório também vai permitir a diminuição do risco de falta d’água, devido ao aumento da capacidade de reservação. A Caesb também identificou vazamentos na estrutura feita de concreto armado na década de 60, o que causava perdas para a companhia e desperdício de água. Ações preventivas e corretivas chegaram a ser feitas, mas elas não conseguiram prolongar a eficiência do reservatório.

A preocupação é que os vazamentos causem a corrosão da estrutura. O novo tanque é totalmente metálico, o que permite mais rapidez na execução da obra e exige menos manutenção. “E quando é preciso fazer uma intervenção ela é muito mais simples”, ressalta Depri.

O presidente da Caesb, Daniel Rossiter, ressalta que a construção do novo reservatório na ETA Brasília é um presente do GDF para os 60 anos de Brasília. “O R1, chamado assim por ter sido o primeiro de Brasília, leva água para mais de 20 regiões e é de extrema importância para toda a população. Estamos modernizando o sistema e aperfeiçoando as obras para garantir segurança hídrica aos brasilienses”, afirma.

Com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a obra conta com investimento de R$ 35 milhões e teve início em fevereiro do ano passado. O consórcio contratado foi o Elevação SM7, formado pelas empresas Construtora Elevação Ltda e SM7 Engenharia, Tecnologia e Importação Ltda.

O gerente da Caesb garante que a idade do reservatório, que guarda as águas captadas dos mananciais Santa Maria e Torto e do Ribeirão Bananal, não compromete o abastecimento da população. “Estamos revitalizando nossas instalações, garantindo a disponibilidade atual de água com maior qualidade, inclusive com possibilidade de aumento do atendimento de novas localidades, visto que serão acrescidos 9 mil m³ na capacidade de reservação”, explica.

A ETA Brasília é a responsável direto pela regularização da produção de água para a Asa Norte e fornece água para o abastecimento de Brasília (Plano Piloto), Noroeste, Sudoeste, Octogonal, Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA), Cidade Estrutural, Cidade do Automóvel, Lago Sul, Jardim Botânico, Jardins Mangueiral, Taquari, Lago Norte, Varjão, Granja do Torto, Sobradinho II (Condomínios RK e Grande Colorado), Paranoá e Itapoã. Desde a crise hídrica leva água também para o Guará, Candangolândia, Núcleo Bandeirante, SMPW 01 a 05 e parte de Águas Claras.


 

Crédito: Joel Rodrigues - Agência Brasília
Crédito: Joel Rodrigues - Agência Brasília
Crédito: Joel Rodrigues - Agência Brasília
 
Fotos: Joel Rodrigues - Agência Brasília