Acessibilidade


05/05/20 - Campanha solidária para arrecadar sabonetes e sabão em barra para famílias do DF em situação de vulnerabilidade social

Os cuidados com a higiene pessoal salvam vidas
Faça a sua doação. Ganhe um coração aquecido!

 

Neste momento em que o isolamento social se faz necessário para garantir a prevenção e evitar o contágio pelo novo coronavírus, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) entende que a higiene pessoal deve ser reforçada mesmo aos que podem ficar dentro de casa. E ainda mais aos que precisam ir às ruas. Por isso, a Empresa lança, nesta terça-feira (5/5), Dia Mundial de Higiene das Mãos, uma campanha solidária para arrecadar sabonetes e sabão em barra para famílias do DF em situação de vulnerabilidade social. A campanha é aberta aos empregados da Caesb, à população e à iniciativa privada. Já anunciaram adesão à rede de apoio a Mirante Incorporações, que já doou 2 mil sabonetes, e o Shopping DF Plaza. A meta é arrecadar ao menos 20 mil unidades.

Por prestar um serviço essencial à população, como o fornecimento de água de qualidade e o tratamento de esgoto, a Caesb não paralisou os seus serviços, mas precisou suspender algumas atividades. Entre elas, o Projeto Golfinho, que atende crianças e adolescentes com idades entre 6 e 16 anos de regiões onde há vulnerabilidade social. Mais de 400 inscritos fazem aulas de natação, futebol, participam de jogos lúdicos e recebem apoio pedagógico para atividades escolares, além de aprenderem sobre educação ambiental. Sem as atividades, as crianças e os adolescentes precisam ficar em casa.

Entendendo que uma das principais formas de prevenção à contaminação pelo coronavírus e outras doenças é a lavagem das mãos com água e sabão, a Caesb decidiu iniciar a campanha de arrecadação de sabonetes e sabão em barra para doar às famílias das crianças e dos adolescentes do Projeto Golfinho, o que pode beneficiar um público de ao menos 1,5 mil moradores do DF.

As doações serão recebidas nas portarias das unidades da Caesb e em locais indicados pelos parceiros da campanha para facilitar o recebimento e o armazenamento das doações. A Caesb vai receber as doações nas portarias das unidades Sede (Lotes 13 / 21 - Centro de Gestão de Águas Emendadas, Av. Sibipiruna - Águas Claras) e SIA (Lote F - SAPS, SIA Trecho 1).

Os produtos serão recolhidos durante os próximos 30 dias, mas o prazo pode ser prorrogado. A distribuição será realizada na primeira semana de junho pelas equipes da Empresa e por voluntários que tenham interesse em participar.

INFORMAÇÕES

Proposta:
Em meio à pandemia do novo coronavírus, ações de solidariedade e de voluntariado têm demonstrado grande eficiência na ajuda ao próximo. Com o objetivo de colaborar neste difícil momento, a Caesb decidiu lançar uma campanha, entre os empregados, empresários e a população geral do DF, para arrecadar sabonete e sabão em barra.

Beneficiados: Famílias de crianças e adolescentes, entre 6 e 16 anos, moradoras de Ceilândia, Itapoã e Paranoá, atendidas pelo Projeto Golfinho, desenvolvido pela Caesb, e centros do Governo do Distrito Federal que atendem pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Projeto Golfinho:
Desenvolvido pela Caesb há 18 anos, o Projeto Golfinho tem como principal objetivo a construção da cidadania de crianças em situações de vulnerabilidade, tanto financeira quanto emocional, por meio do esporte e de apoio pedagógico para atividades escolares. Os alunos frequentam o projeto duas vezes por semana no turno contrário ao da escola. Neste período, eles têm aula de natação, futebol, participam de jogos lúdicos e recebem apoio pedagógico para atividades escolares, além de aprenderem sobre educação ambiental. Os participantes também recebem lanche e um kit com touca, sunga ou maiô, toalha, prancha, espaguete e bolsa para as aulas de natação.

Atualmente, o Projeto atende crianças e adolescentes de 6 a 16 anos nas regiões de Ceilândia, Itapoã e Paranoá. Os participantes de Ceilândia realizam suas atividades no núcleo daquela cidade. Já os alunos do Itapoã e Paranoá permanecem no Itapoã até os 10 anos. Após essa idade, são transferidos para o núcleo do Israel Pinheiro, no Lago Sul. O transporte é fornecido pela Caesb para que os participantes possam chegar aos núcleos. Ao completarem 14 anos, os adolescentes são encaminhados para o projeto Empregado Aprendiz e podem trabalhar na Caesb ou em outros órgãos do governo.

Como posso ajudar? Doando sabonete e/ou sabão em pedra.

Posso participar? Claro. A iniciativa é aberta a todos que quiserem ajudar o próximo.

Onde entrego minhas doações? A Caesb vai receber as doações nas portarias das unidades Sede (Lotes 13 / 21 - Centro de Gestão de Águas Emendadas, Av. Sibipiruna - Águas Claras) e SIA (Lote F - SAPS, SIA Trecho 1). A partir da próxima semana, a Empresa vai divulgar mais pontos de arrecadação.

Quanto tempo eu tenho para doar? As doações serão recolhidas pelos próximos 30 dias, a contar de 5 de maio, mas o prazo pode ser prorrogado.

E a distribuição? Vai começar no início de junho e seguindo todos os cuidados de prevenção ao coronavírus. Quem quiser pode participar das entregas em ação alternada para não haver aglomeração de pessoas.

 

08/05/20 - DF vai ganhar novo reservatório de água na região central de Brasília

Tanque terá capacidade de 30 mil m³ na Estação de Tratamento de Água (ETA) Brasília

Gizella Rodrigues, da Agência Brasília
 

A Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) quer garantir o abastecimento do Distrito Federal pelos próximos 50 anos pelo menos, mesmo com o surgimento de novos empreendimentos e crescimento da população.

Para isso, está construindo um novo reservatório com capacidade de 30 mil m³ na Estação de Tratamento de Água (ETA) Brasília, responsável pelo fornecimento de água para quase 30% da população do DF.

O novo reservatório, que é dividido em duas partes, vai substituir um dos três tanques da estação, o R1, em funcionamento desde 1960 e que chegou ao final de sua vida útil. O desgaste de mais de meio século de uso comprometeu sua capacidade. Já não é mais possível usar a altura máxima e o reservatório, que também armazenava 30 mil m³, opera com 70% de sua capacidade e guarda apenas 21 mil m³ de água.

“É uma questão de segurança, ele até poderia operar com mais água, mas pela sua idade existe um risco de colapso da estrutura”, afirma Rodrigo Paiva Oliveira Depri, gerente da Caesb e gestor do contrato de execução do reservatório.

O novo reservatório também vai permitir a diminuição do risco de falta d’água, devido ao aumento da capacidade de reservação. A Caesb também identificou vazamentos na estrutura feita de concreto armado na década de 60, o que causava perdas para a companhia e desperdício de água. Ações preventivas e corretivas chegaram a ser feitas, mas elas não conseguiram prolongar a eficiência do reservatório.

A preocupação é que os vazamentos causem a corrosão da estrutura. O novo tanque é totalmente metálico, o que permite mais rapidez na execução da obra e exige menos manutenção. “E quando é preciso fazer uma intervenção ela é muito mais simples”, ressalta Depri.

O presidente da Caesb, Daniel Rossiter, ressalta que a construção do novo reservatório na ETA Brasília é um presente do GDF para os 60 anos de Brasília. “O R1, chamado assim por ter sido o primeiro de Brasília, leva água para mais de 20 regiões e é de extrema importância para toda a população. Estamos modernizando o sistema e aperfeiçoando as obras para garantir segurança hídrica aos brasilienses”, afirma.

Com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a obra conta com investimento de R$ 35 milhões e teve início em fevereiro do ano passado. O consórcio contratado foi o Elevação SM7, formado pelas empresas Construtora Elevação Ltda e SM7 Engenharia, Tecnologia e Importação Ltda.

O gerente da Caesb garante que a idade do reservatório, que guarda as águas captadas dos mananciais Santa Maria e Torto e do Ribeirão Bananal, não compromete o abastecimento da população. “Estamos revitalizando nossas instalações, garantindo a disponibilidade atual de água com maior qualidade, inclusive com possibilidade de aumento do atendimento de novas localidades, visto que serão acrescidos 9 mil m³ na capacidade de reservação”, explica.

A ETA Brasília é a responsável direto pela regularização da produção de água para a Asa Norte e fornece água para o abastecimento de Brasília (Plano Piloto), Noroeste, Sudoeste, Octogonal, Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA), Cidade Estrutural, Cidade do Automóvel, Lago Sul, Jardim Botânico, Jardins Mangueiral, Taquari, Lago Norte, Varjão, Granja do Torto, Sobradinho II (Condomínios RK e Grande Colorado), Paranoá e Itapoã. Desde a crise hídrica leva água também para o Guará, Candangolândia, Núcleo Bandeirante, SMPW 01 a 05 e parte de Águas Claras.


 

Crédito: Joel Rodrigues - Agência Brasília
Crédito: Joel Rodrigues - Agência Brasília
Crédito: Joel Rodrigues - Agência Brasília
 
Fotos: Joel Rodrigues - Agência Brasília

 

12/05/20 - Caesb deixa de cobrar consumo mínimo de água e beneficia clientes da Tarifa Social

Alteração deve diminuir até 65% da conta de 40% dos consumidores

(Atualizado em 30/3/2022)
 

A partir do dia 1º de junho, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) aplicará as alterações provocadas pela Lei Distrital no. 6.272/2019, que implementa uma nova forma de cobrança das tarifas de água e esgoto no Distrito Federal.

A principal mudança na nova tabela é o fim do consumo mínimo de 10m³ por mês, relativos ao fornecimento de água de cada unidade de consumo. Com o fim da cobrança do consumo mínimo, o pagamento se dará pelo consumo efetivamente medido.

Passa a ser arrecadada uma tarifa fixa de R$ 8,00 para a categoria residencial e R$ 21,00 para não residencial, além da cobrança do valor efetivamente consumido de água e de esgoto.

Hoje, 40% da população do DF estão na faixa de consumo de até 7 m³/mês e terão redução de até 65% na sua fatura. Um dos principais objetivos dessa mudança é estimular um uso mais racional e consciente de água, premissa presente em toda a nova estrutura. Ou seja, quem economizar mais, pagará menos.

Tarifa Social

A principal inovação é a ampliação substancial do número de beneficiados pela Tarifa Social, de 3 mil para aproximadamente 70 mil famílias, com renda per capita entre zero e R$ 178. Para ter direito à Tarifa Social, basta que o titular da conta de água seja beneficiário do Programa Auxílio Brasil e esteja com CPF cadastrado e atualizado no CadÚnico pela SEDES.

Os beneficiários obtêm 50% de desconto na tarifa residencial e isenção no custo da ligação de esgoto. Pela nova estrutura, a tarifa média para quem consome 1 m³/mês nesta categoria terá uma redução de 82%.

Importante lembrar que a tarifa social é limitada a um consumo de 30 m³/mês de água O consumo excedente será faturado sem desconto na tarifa, portanto o uso consciente de água é fundamental para garantir a tarifa reduzida.

Ou seja, se você é beneficiário do Programa Auxílio Brasil e a conta de água não está no seu nome, aproveite e atualize seu cadastro no autoatendimento para ter direito à tarifa social. Basta solicitar a alteração de titularidade em um dos canais disponíveis.

Como alterar a titularidade da conta de água

Em relação à tarifa social, a Caesb informa que o cliente não precisa sair de casa. Os beneficiários deverão solicitar a mudança na titularidade da conta, caso não sejam os responsáveis financeiros, por meio do site (www.caesb.df.gov.br), dos aplicativos disponíveis no sistema IOS (Apple) ou Android.

É importante lembrar que, somente após a aprovação do cadastro pessoal e da vinculação ao imóvel, o usuário passa a ser o responsável pelas contas do imóvel, pois muitos usuários entendem que apenas a realização do cadastro no site já efetiva a alteração de titularidade.

Confira o passo a passo para a alteração de titularidade no site, nos aplicativos e nos postos de atendimento:

No site da Caesb:

1 - O cliente deve acessar o site da Caesb ou digitar o endereço https://www.caesb.df.gov.br/.

2 - Depois deve clicar no banner Autoatendimento ou digitar o endereço https://www.caesb.df.gov.br/portal-servicos/.

3 - Na sequência, deve clicar no botão Alteração de Titularidade.

4 - Se o usuário não estiver com seu cadastro pessoal atualizado deverá apresentar os documentos pessoais legíveis, completos e não podem estar rasurados ou com emendas.

5 - Após o seu cadastro pessoal no serviço de Alteração de Titularidade, o usuário deverá encaminhar o comprovante de vínculo com o imóvel no serviço de Alteração de Titularidade. Confira aqui os documentos pessoais e os que comprovam o vínculo com o morador ou responsável pela residência (https://www.caesb.df.gov.br/relacao-documentos).


Nos aplicativos IOS e Android:

1 - O cliente deve baixar o aplicativo de acordo com o sistema operacional do seu smartphone.
Para aparelhos Android, o endereço é o seguinte: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.df.caesb.mobile.
Para aparelhos IOS, o endereço é o seguinte: https://apps.apple.com/br/app/caesb-autoatendimento/id1003831993.

2 - Os passos se repetem para a mudança da titularidade.


Nos postos de atendimento:

1 - O cliente deve, preferencialmente, se dirigir à unidade de atendimento próximo à sua residência, portando os documentos pessoais legíveis, completos e não podem estar rasurados ou com emendas, além do comprovante de vínculo com o imóvel. Confira aqui os documentos pessoais e os que comprovam o vínculo com o morador ou responsável pela residência (https://www.caesb.df.gov.br/relacao-documentos).

2 - IMPORTANTE: Em razão da pandemia da Covid-19, o atendimento nos escritórios de atendimento e nas unidades do Na Hora devem ser agendados.


Mais informações

Para saber mais sobre o assunto e o impacto dessa mudança na sua conta, acesse o site da Caesb e faça a simulação de seu consumo com a nova estrutura tarifária. Outras informações sobre esta mudança poderão ser obtidas pela Central 115 ou através do e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

 

14/05/20 - Caesb faz doação de 140 máscaras “face shields” para o Hospital Universitário de Brasília (HUB)

Equipamentos foram produzidos na impressora 3D da Empresa, com materiais doados pelos próprios empregados


A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) doou 140 máscaras de proteção contra o novo coronavírus ao Hospital Universitário de Brasília (HUB), instituição pública federal, vinculada à Universidade de Brasília (UnB).

Os equipamentos “face shields” foram produzidos na Companhia e são compostos por uma viseira transparente – feita com folha de acetato – e um suporte para a cabeça produzido na impressora 3D. Toda a matéria prima utilizada na produção das máscaras entregues foi doada à Caesb pelos próprios empregados, entre eles os aposentados.

A entrega ocorreu nesta quarta-feira (13) na oficina da Empresa, na unidade do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). Chefe do Setor de Apoio Terapêutico do HUB, Liana Gomide agradeceu a doação e ressaltou a importância da ajuda. “O HUB tem se preparado para receber os pacientes, tem treinado as equipes, desenvolvido protocolos. A chegada desses equipamentos fortalece nossa proteção e os cuidados com os profissionais que estão na linha de frente do combate ao coronavírus.”

Chefe da Unidade de Graduação e Cursos Técnicos do HUB, Fernanda da Rosa reforçou a importância da doação e do uso das máscaras. “Esses equipamentos vão ser entregues para profissionais que já estão atuando no combate à Covid. É um importante reforço para o HUB.”

Para o Diretor de Operação e Manutenção da Caesb, Carlos Eduardo Pereira, a ação da Caesb mostra a união e o cuidado com os profissionais que seguem trabalhando mesmo neste momento de pandemia. “Nossa preocupação é proteger os profissionais da Caesb, já que nossas atividades não podem parar. A confecção das máscaras surgiu por isso. Estamos usando a nossa oficina, que conta com equipamentos modernos, para produzir esse importante equipamento de proteção. A doação ao HUB é uma forma de agradecimento pela parceria e ajuda que as equipes nos deram na elaboração do projeto. É uma entrega de toda a Caesb ao hospital”, reforçou o diretor.

Produção

O trabalho de produção das máscaras foi coordenado pelos engenheiros mecânicos da Caesb, Marcos Barboza, gerente de Engenharia e Desenvolvimento, e Eduardo Burgos, coordenador de Desenvolvimento da Manutenção.

“Fiquei sensibilizado ao ver médicos e outros profissionais da saúde com os rostos marcados pelas máscaras e pensei que poderíamos fazer algo para amenizar estes efeitos. A nossa motivação foi o conforto e a proteção de todos que estão na linha de frente nesta guerra contra a Covid-19”, lembrou Eduardo Burgos.

Até chegar no modelo atual, os engenheiros testaram outras opções. “Esse modelo final é o quarto. Chegamos até ele depois de muitos testes e estudos. Foi a máscara que saiu com o preço mais acessível e seguindo as recomendações de segurança e prevenção”, completou Marcos Barboza.

A produção das máscaras
https://www.caesb.df.gov.br/8-portal/noticias/1081-14-03-20-caesb-usa-impressora-3d-para-produzir-mascaras-de-protecao-contra-o-coronavirus-covid-19.html


 

 

Engenheiro Marcos Barboza

 

Engenheiro Eduardo Burgos

 

Crédito das fotos: Marco Peixoto (Caesb)

 

15/05/20 - Clientes da Caesb receberão bônus-desconto nas contas a partir de junho

Tem direito ao desconto de 20% quem economizou em 2019 na comparação a 2018


A partir do mês de junho, a Caesb volta a aplicar o bônus-desconto de 20% aos usuários que conseguiram reduzir o consumo de água em 2019 comparado a 2018, apurado mês a mês e depois totalizado. Os clientes da Caesb que tiverem direito ao bônus receberão o comunicado com a fatura do mês de maio.

A medida atende à Lei Distrital nº 4.341, de 22 de junho de 2009, e à Resolução nº 06, de 5 de julho de 2010, da Adasa, e está sendo praticada pela Caesb pelo décimo ano consecutivo. Desde setembro de 2009, a Companhia encaminha, no verso da fatura, informações da legislação que dispõe sobre o incentivo à redução do consumo de água no DF.

Para 2020, a Caesb calcula que irá devolver um montante de R$ 8.746.288,76 aos clientes. Este valor representa, aproximadamente, 88% do valor concedido ano passado, que foi de R$ 10.012.667,18.

O período de apuração do bônus-desconto é de janeiro de 2018 a dezembro de 2019. O bônus será concedido conforme o valor que o cliente tem a receber, de acordo com cronograma de devolução:

Critério para Devolução

Mês

Total

Quantidade

Valor Total

valor < 8

06/2020

249.439

 R$     895.700,72 

valor >= 8 e valor < 13,50

07/2020

82.773

 R$     860.707,43 

 valor >= 13,50 e valor < 20

08/2020

50.949

 R$     833.048,34 

 valor >= 20 e valor < 28

09/2020

36.140

 R$     846.637,56 

 valor >= 28 e valor < 40

10/2020

27.016

 R$     897.228,66 

 valor >= 40 e valor < 58

11/2020

17.878

 R$     851.647,72 

 valor >= 58 e valor < 95

12/2020

11.698

 R$     847.568,12 

 valor >= 95 e valor < 210

01/2021

6.380

 R$     847.516,50 

 valor >= 210 e valor < 750

02/2021

2.472

 R$     886.524,68 

 valor >= 750 e valor < 8.000

03/2021

504

 R$     832.701,06 

valor >= 8.000

04/2021

13

 R$     146.947,97 

Total

485.262

 R$  8.746.228,76 


Cálculo

Neste mês de maio, a Caesb encaminhará ao titular da conta, que reduziu seu consumo, um demonstrativo contendo:

• volume economizado em metros cúbicos no período de apuração;

• volume básico de cálculo do bônus-desconto em metros cúbicos;

• tarifa inicial da categoria, em reais por metro cúbico vigente na data;

• valor do bônus-desconto em reais e a forma de concessão do bônus.

O valor será calculado multiplicando a tarifa inicial da categoria em que o usuário está enquadrado por 20% do somatório dos volumes mensais economizados no período de 12 meses de apuração.

Como calcular

O cliente A, de tarifa residencial, consumiu 111m³ em janeiro de 2018. Já em janeiro de 2019, o consumo foi de 52m³. No caso, a economia foi de 59m³. O bônus-desconto prevê 20% desta economia, ou seja: 11,80m³. Para obter o valor em reais, deve-se multiplicar 11,80m³ pelo valor da tarifa, que é R$ 3,14. O bônus a ser concedido, nesse caso, é de R$ 37,05.

O cliente B, de tarifa comercial, consumiu 44³ em abril de 2018. Já em abril de 2019, o consumo foi de 10m³. No caso, economizou 34m³. O bônus-desconto prevê 20% desta economia, sendo 6,8m³. Deve-se multiplicar o 6,8m³ pelo valor da tarifa comercial, que é R$ 7,97. Nesta situação, o bônus será de R$ 51,80.

 

CLIENTE A

TARIFA RESIDENCIAL NORMAL

CONSUMO (m3)

ECONOMIA

(m3)

20%

TARIFA(R$)

BÔNUS (R$)

01/2018

01/2019

111

52

59

11,80

3,14

37,05

 

CLIENTE B

TARIFA COMERCIAL

CONSUMO (m3)

ECONOMIA

(m3)

20%

TARIFA(R$)

BÔNUS (R$)

04/2018

04/2019

44

10

34

6,8

7,97

51,80



Serviço:

Para obter a segunda via da conta de água e outros serviços, a Caesb disponibiliza o site institucional (www.caesb.df.gov.br), aplicativos para Android e IOS, além da Central de Relacionamento com o Cliente, pelo número 115.

Para baixar o aplicativo da Caesb no celular, clique nos links abaixo:

- IOS:
https://apps.apple.com/br/app/caesb-autoatendimento/id1003831993

- Android:
https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.df.caesb.mobile

Pagina 15 de 83