Acessibilidade


14/05/20 - Caesb faz doação de 140 máscaras “face shields” para o Hospital Universitário de Brasília (HUB)

Equipamentos foram produzidos na impressora 3D da Empresa, com materiais doados pelos próprios empregados


A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) doou 140 máscaras de proteção contra o novo coronavírus ao Hospital Universitário de Brasília (HUB), instituição pública federal, vinculada à Universidade de Brasília (UnB).

Os equipamentos “face shields” foram produzidos na Companhia e são compostos por uma viseira transparente – feita com folha de acetato – e um suporte para a cabeça produzido na impressora 3D. Toda a matéria prima utilizada na produção das máscaras entregues foi doada à Caesb pelos próprios empregados, entre eles os aposentados.

A entrega ocorreu nesta quarta-feira (13) na oficina da Empresa, na unidade do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). Chefe do Setor de Apoio Terapêutico do HUB, Liana Gomide agradeceu a doação e ressaltou a importância da ajuda. “O HUB tem se preparado para receber os pacientes, tem treinado as equipes, desenvolvido protocolos. A chegada desses equipamentos fortalece nossa proteção e os cuidados com os profissionais que estão na linha de frente do combate ao coronavírus.”

Chefe da Unidade de Graduação e Cursos Técnicos do HUB, Fernanda da Rosa reforçou a importância da doação e do uso das máscaras. “Esses equipamentos vão ser entregues para profissionais que já estão atuando no combate à Covid. É um importante reforço para o HUB.”

Para o Diretor de Operação e Manutenção da Caesb, Carlos Eduardo Pereira, a ação da Caesb mostra a união e o cuidado com os profissionais que seguem trabalhando mesmo neste momento de pandemia. “Nossa preocupação é proteger os profissionais da Caesb, já que nossas atividades não podem parar. A confecção das máscaras surgiu por isso. Estamos usando a nossa oficina, que conta com equipamentos modernos, para produzir esse importante equipamento de proteção. A doação ao HUB é uma forma de agradecimento pela parceria e ajuda que as equipes nos deram na elaboração do projeto. É uma entrega de toda a Caesb ao hospital”, reforçou o diretor.

Produção

O trabalho de produção das máscaras foi coordenado pelos engenheiros mecânicos da Caesb, Marcos Barboza, gerente de Engenharia e Desenvolvimento, e Eduardo Burgos, coordenador de Desenvolvimento da Manutenção.

“Fiquei sensibilizado ao ver médicos e outros profissionais da saúde com os rostos marcados pelas máscaras e pensei que poderíamos fazer algo para amenizar estes efeitos. A nossa motivação foi o conforto e a proteção de todos que estão na linha de frente nesta guerra contra a Covid-19”, lembrou Eduardo Burgos.

Até chegar no modelo atual, os engenheiros testaram outras opções. “Esse modelo final é o quarto. Chegamos até ele depois de muitos testes e estudos. Foi a máscara que saiu com o preço mais acessível e seguindo as recomendações de segurança e prevenção”, completou Marcos Barboza.

A produção das máscaras
https://www.caesb.df.gov.br/8-portal/noticias/1081-14-03-20-caesb-usa-impressora-3d-para-produzir-mascaras-de-protecao-contra-o-coronavirus-covid-19.html


 

 

Engenheiro Marcos Barboza

 

Engenheiro Eduardo Burgos

 

Crédito das fotos: Marco Peixoto (Caesb)

 

15/05/20 - Clientes da Caesb receberão bônus-desconto nas contas a partir de junho

Tem direito ao desconto de 20% quem economizou em 2019 na comparação a 2018


A partir do mês de junho, a Caesb volta a aplicar o bônus-desconto de 20% aos usuários que conseguiram reduzir o consumo de água em 2019 comparado a 2018, apurado mês a mês e depois totalizado. Os clientes da Caesb que tiverem direito ao bônus receberão o comunicado com a fatura do mês de maio.

A medida atende à Lei Distrital nº 4.341, de 22 de junho de 2009, e à Resolução nº 06, de 5 de julho de 2010, da Adasa, e está sendo praticada pela Caesb pelo décimo ano consecutivo. Desde setembro de 2009, a Companhia encaminha, no verso da fatura, informações da legislação que dispõe sobre o incentivo à redução do consumo de água no DF.

Para 2020, a Caesb calcula que irá devolver um montante de R$ 8.746.288,76 aos clientes. Este valor representa, aproximadamente, 88% do valor concedido ano passado, que foi de R$ 10.012.667,18.

O período de apuração do bônus-desconto é de janeiro de 2018 a dezembro de 2019. O bônus será concedido conforme o valor que o cliente tem a receber, de acordo com cronograma de devolução:

Critério para Devolução

Mês

Total

Quantidade

Valor Total

valor < 8

06/2020

249.439

 R$     895.700,72 

valor >= 8 e valor < 13,50

07/2020

82.773

 R$     860.707,43 

 valor >= 13,50 e valor < 20

08/2020

50.949

 R$     833.048,34 

 valor >= 20 e valor < 28

09/2020

36.140

 R$     846.637,56 

 valor >= 28 e valor < 40

10/2020

27.016

 R$     897.228,66 

 valor >= 40 e valor < 58

11/2020

17.878

 R$     851.647,72 

 valor >= 58 e valor < 95

12/2020

11.698

 R$     847.568,12 

 valor >= 95 e valor < 210

01/2021

6.380

 R$     847.516,50 

 valor >= 210 e valor < 750

02/2021

2.472

 R$     886.524,68 

 valor >= 750 e valor < 8.000

03/2021

504

 R$     832.701,06 

valor >= 8.000

04/2021

13

 R$     146.947,97 

Total

485.262

 R$  8.746.228,76 


Cálculo

Neste mês de maio, a Caesb encaminhará ao titular da conta, que reduziu seu consumo, um demonstrativo contendo:

• volume economizado em metros cúbicos no período de apuração;

• volume básico de cálculo do bônus-desconto em metros cúbicos;

• tarifa inicial da categoria, em reais por metro cúbico vigente na data;

• valor do bônus-desconto em reais e a forma de concessão do bônus.

O valor será calculado multiplicando a tarifa inicial da categoria em que o usuário está enquadrado por 20% do somatório dos volumes mensais economizados no período de 12 meses de apuração.

Como calcular

O cliente A, de tarifa residencial, consumiu 111m³ em janeiro de 2018. Já em janeiro de 2019, o consumo foi de 52m³. No caso, a economia foi de 59m³. O bônus-desconto prevê 20% desta economia, ou seja: 11,80m³. Para obter o valor em reais, deve-se multiplicar 11,80m³ pelo valor da tarifa, que é R$ 3,14. O bônus a ser concedido, nesse caso, é de R$ 37,05.

O cliente B, de tarifa comercial, consumiu 44³ em abril de 2018. Já em abril de 2019, o consumo foi de 10m³. No caso, economizou 34m³. O bônus-desconto prevê 20% desta economia, sendo 6,8m³. Deve-se multiplicar o 6,8m³ pelo valor da tarifa comercial, que é R$ 7,97. Nesta situação, o bônus será de R$ 51,80.

 

CLIENTE A

TARIFA RESIDENCIAL NORMAL

CONSUMO (m3)

ECONOMIA

(m3)

20%

TARIFA(R$)

BÔNUS (R$)

01/2018

01/2019

111

52

59

11,80

3,14

37,05

 

CLIENTE B

TARIFA COMERCIAL

CONSUMO (m3)

ECONOMIA

(m3)

20%

TARIFA(R$)

BÔNUS (R$)

04/2018

04/2019

44

10

34

6,8

7,97

51,80



Serviço:

Para obter a segunda via da conta de água e outros serviços, a Caesb disponibiliza o site institucional (www.caesb.df.gov.br), aplicativos para Android e IOS, além da Central de Relacionamento com o Cliente, pelo número 115.

Para baixar o aplicativo da Caesb no celular, clique nos links abaixo:

- IOS:
https://apps.apple.com/br/app/caesb-autoatendimento/id1003831993

- Android:
https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.df.caesb.mobile

27/05/20 - Atendimento virtual da Caesb cresce durante a pandemia do coronavírus

Alteração de titularidade da conta, religação e revisão de conta são serviços mais solicitados

 

A suspensão do atendimento presencial ao público nos escritórios regionais da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), desde o dia 16 de março, provocou um aumento nos atendimentos virtuais realizados pela Empresa. Atualmente, a Caesb disponibiliza cinco canais remotos: WhatsApp, Agência Virtual, App, Site e telefone 115.

Nos meses de março e abril deste ano, a Caesb realizou 17.941 atendimentos pela Agência Virtual, um aumento de 117% se comparado com o mesmo período do ano passado, quando foram realizados 8.256 atendimentos pelo mesmo canal. A tendência se manteve no App e no site. Nos meses de março e abril de 2019, foram recebidas 62 demandas pelo aplicativo e, neste ano, no mesmo período, foram 4.820. Já pelo site da Companhia, 4.948 demandas foram recebidas em março e abril deste ano e 1.524 no mesmo período de 2019.

O atendimento via Whatsapp, que teve início em caráter experimental no ano passado nas regiões de Ceilândia, Samambaia, Sobradinho, Planaltina e Taguatinga, também mostra uma demanda crescente. Em fevereiro deste ano, a Caesb recebeu 78 mensagens por Whatsapp. Em março 249 e, em abril, 419.

Nos canais virtuais citados acima, os serviços mais requisitados foram alteração de titularidade da conta, religação e revisão de conta. O Superintendente Comercial da Caesb, Diego Rezende, aponta que algumas das vantagens na utilização dos serviços virtuais são o fato de o usuário não precisar se deslocar a uma unidade física e ter mais celeridade nas respostas. “O tempo de análise em um atendimento presencial pode demorar mais, dependendo do serviço, pois tem mais processos. Quando esse mesmo serviço é solicitado on-line, o prazo pode ser reduzido até pela metade do tempo”, explica Diego.

Segundo o superintendente, os atendimentos virtuais dos últimos meses ultrapassam a metade dos presenciais no mesmo período em anos anteriores, o que demonstra que a maioria da população tem se habituado bem a essa nova realidade. “A taxa de retenção, que é quando o usuário é atendido e tem o seu problema sanado sem necessidade de ordem de serviço, melhorou consideravelmente. Dentro da normalidade, a média da taxa de retenção é de 83%, no atual cenário está em 97%, o que demonstra que a maioria dos atendimentos tem sido resolutivos”, comemora Diego.

Com relação à central de atendimento 115, em janeiro deste ano o serviço de URA – Unidade de Resposta Audível, foi automatizado. A URA funciona como um atendente eletrônico, por meio do qual são oferecidos serviços automáticos para os clientes, sem que haja a necessidade de interação com o atendimento humano.

Até o momento, os serviços mais solicitados neste canal foram consulta e informação de falta d’água (40%), consulta de débitos e segundas vias (21%) e solicitação de desobstrução de esgoto (13%). Também são oferecidos os serviços de revisão de conta e consertos de vazamento. Em fevereiro, a Empresa registrou 2.213 atendimentos, em março foram 8.077. Já em abril o número chegou a 12.188.

Para o Ouvidor da Caesb, Eduardo Soares, responsável pela central de atendimento 115, a utilização deste serviço é mais ágil e prática. “Essas opções ampliam os canais de contato com a Caesb, tornando a jornada do cliente mais ágil, prática e agradável”, destaca.

A Caesb reitera que, por meio dos canais virtuais, é possível solicitar revisão ou segunda via de contas, alteração de titularidade e vencimento, consumo de água, consulta de protocolos, parcelamento de débitos, 1ª ligação de água, autoleitura, ressarcimento de danos, alteração do titular ou do vencimento da conta, religação de água, débitos, manutenção de redes, além de serviços comerciais como análise de contas, atualização de cadastro e religação.

Site oficial:

https://www.caesb.df.gov.br/portal-servicos/

Para baixar o aplicativo da Caesb no celular:

- IOS:

https://apps.apple.com/br/app/caesb-autoatendimento/id1003831993

- Android:
https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.df.caesb.mobile

Atendimento via WhatsApp:
O número é (61) 98480-5115 e atende as regiões de Ceilândia, Samambaia, Sobradinho, Planaltina e Taguatinga.


 

29/05/20 - Fatura da Caesb terá novas informações sobre consumo de água e de esgoto

Consumo mínimo de água deixa de ser cobrado a partir do dia 1º de junho

(Atualizado em 30/3/2022)
 

No mês de junho, os clientes da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) receberão suas faturas com as novas tarifas, relativas ao consumo de água e esgoto no mês de maio. O fim do consumo mínimo de 10m³ mensal é a mudança mais significativa na nova tabela. A partir do mês que vem, o pagamento dos serviços será feito pelo consumo efetivamente medido de água e de esgoto, adicionado à tarifa fixa de cada um desses serviços.

Outra importante alteração é a divisão das categorias de consumidores em quatro categorias, sendo que o consumo foi separado por 6 faixas para Residencial Padrão e Residencial Social. Para as categorias não residenciais, que hoje são Comercial, Industrial, Pública e Tarifa Paisagismo, haverá 5 faixas de consumo.

Para facilitar a cobrança, a nova conta de água e de esgoto terá duas linhas a mais na descrição dos serviços prestados pela Caesb: 
Duas linhas referentes às tarifas fixas de água e de esgoto. E outras duas linhas referentes às Tarifas Variáveis de Água e de Esgoto. A Tabela a seguir apresenta o valor da Tarifa Fixa para cada uma das categorias:

Categoria Tarifa Fixa Água / Esgoto
Residencial Padrão R$ 8,00
Residencial Social (Tarifa Social) R$ 4,00
Comercial, Industrial e Pública R$ 21,00
Paisagismo R$ 31,50


Dessa forma, o cliente pagará pela tarifa fixa de água, pela tarifa fixa de esgoto, pelo consumo variável de água e pelo consumo variável de esgoto. Pelas novas regras definidas pela Adasa, 40% da população do DF hoje estão na faixa de consumo de até 7 m³/mês e terão redução de até 65% na sua fatura. A nova estrutura tarifária prevê que o cliente que utilizar a água de forma racional e consciente terá uma redução em sua conta.

Um dos principais objetivos dessa mudança é estimular um uso mais racional e consciente de água, premissa presente em toda a nova estrutura. Ou seja, quem economizar mais, pagará menos.

Um exemplo:

Um cliente residencial que tenha consumido 4m³ observará em sua fatura da Caesb os seguintes itens:

 

Número de Unidades de Consumo Volume Total (m³) Preço (R$) Subtotal (R$)
1 4 2,99 11,96
       
Tarifa Variável de Água Residencial     R$ 11,96
Tarifa Variável de Esgoto Residencial 100%     R$ 11,96
Tarifa Fixa de Água Residencial     R$ 8,00
Tarifa Fixa de Esgoto Residencial 100%     R$ 8,00
Total a pagar     R$ 39,92

O cliente residencial pagará uma tarifa fixa pelo tratamento da água (R$ 8,00); uma tarifa fixa pela coleta e tratamento de esgoto (R$ 8,00); o valor pela quantidade de água consumida (metros cúbicos multiplicados pela tarifa de água) e o valor pelo esgoto coletado (metros cúbicos multiplicados pela tarifa de esgoto).

Outro exemplo:

Um cliente comercial que tenha consumido 2m³ observará em sua fatura da Caesb os seguintes itens:
 
Número de Unidades de Consumo Volume Total (m³) Preço (R$) Subtotal (R$)
1 2 6,14 12,28
       
Tarifa Variável de Água Comercial     R$ 12,28
Tarifa Variável de Esgoto Comercial 100%     R$ 12,28
Tarifa Fixa de Água Comercial     R$ 21,00
Tarifa Fixa de Esgoto Comercial 100%     R$ 21,00
Total a pagar     R$ 66,56

O cliente comercial irá pagar uma tarifa fixa pelo tratamento de água (R$ 21,00); uma tarifa fixa pela coleta e pelo tratamento de esgoto (R$ 21,00); o valor pela quantidade de água consumida (metros cúbicos multiplicados pela tarifa de água comercial) e o valor pelo esgoto coletado (100% do valor consumido de água ou o percentual em que se enquadra o esgoto do imóvel).


Tarifas mensais

A tabela mensal das tarifas pelos serviços de água e esgotos, que entra em vigor no dia 1º de junho, seguirá novos critérios. Os clientes residenciais padrão terão 6 faixas de consumo com valores que variam de R$ 2,99 até R$ 23,87 por metro cúbico de água e de esgoto consumidos. A Tarifa Fixa é de R$ 8,00.

Os clientes da Tarifa Social terão 6 faixas de consumo com valores que variam de R$ 1,49 até R$ 23,87 por metro cúbico de água e de esgoto consumidos. A Tarifa Fixa é de R$ 4,00.

Os clientes da categoria Comercial, Industrial e Pública terão 5 faixas de consumo com valores que variam de R$ 6,14 até R$ 14,97 por metro cúbico de água e de esgoto consumidos. A Tarifa Fixa é de R$ 21,00.

Uma inovação na tabela é a Tarifa Paisagismo – conhecida anteriormente como Tarifa Irrigação –, em que as 5 faixas de consumo têm valores que variam de R$ 9,21 até R$ 22,46 por metro cúbico de água e de esgoto consumidos. A Tarifa Fixa é de R$ 31,50. O critério para cobrança por serviço de paisagismo se aplicará nos casos em que a água for utilizada para fins decorativos e de jardinagem e que não seja possível tecnicamente a utilização de poços.

Para saber mais sobre o assunto e o impacto dessa mudança na sua conta, acesse o site da Caesb e faça a simulação de seu consumo com a nova estrutura tarifária.



Tarifa Residencial Social

Outra importante inovação trazida pela nova estrutura tarifária é a ampliação substancial do número de beneficiados pela tarifa social, de 3 mil para até 70 mil famílias, com renda familiar entre zero e R$ 178. Para ter direito à Tarifa Social, basta que o titular da conta de água seja beneficiário do Programa Auxílio Brasil e esteja com CPF cadastrado e atualizado no CadÚnico pela SEDES.

Os beneficiários obtêm 50% de desconto na tarifa residencial e isenção no custo da ligação de esgoto. Pela nova estrutura, a tarifa média para quem consome 1 m³/mês nesta categoria terá uma redução de 82%. A tarifa social é limitada a um consumo de 30 m³/mês. O consumo excedente será faturado sem desconto na tarifa, portanto o uso consciente de água é fundamental para garantir a tarifa reduzida

Ou seja, se você é beneficiário do Programa Auxílio Brasil e a conta de água não está no seu nome, aproveite e atualize seu cadastro no autoatendimento para ter direito à tarifa social. Basta solicitar a alteração de titularidade em um dos canais disponíveis.

Site oficial:

https://www.caesb.df.gov.br/

Para baixar o aplicativo da Caesb no celular:

- IOS: https://apps.apple.com/br/app/caesb-autoatendimento/id1003831993

- Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.df.caesb.mobile

02/06/20 - Ao lado de empresas de SP e RJ, Caesb participa de evento para debater importância do voluntariado

O webinar é organizado pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes)


Com campanhas solidárias lançadas neste período de pandemia, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) participa, nesta quarta-feira (3/6), a partir das 10h, de um Webinar - videoconferência com intuito educacional - para debater o Voluntariado nas Empresas de Saneamento. Organizado pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), o evento terá a participação apenas de três empresas de saneamento do país. Além da Caesb, estarão no encontro a Cedae, do Rio de Janeiro, e a Sabesp, de São Paulo.

A Caesb será representada pela chefe da Assessoria de Comunicação, Kelly Almeida, que vai falar um pouco sobre as iniciativas tomadas pela Companhia desde o início da pandemia e a importância do envolvimento de todos os empregados em ações solidárias neste momento em que a solidariedade pode fazer a diferença na vida de muitas pessoas.

Primeira empresa pública a divulgar e orientar os empregados sobre o regime de trabalho durante a pandemia, a Caesb já lançou, desde o início da pandemia, três ações solidárias, além de ter anunciado, ainda em março, que não faria o corte de água por inadimplência. Entre as campanhas da empresa houve incentivo aos empregados para produção e doação de máscaras de pano, o que sensibilizou costureiras de Brasília e rendeu mais de 300 máscaras doadas à Empresa e distribuídas entre os empregados.

Engenheiros da Companhia também começaram a produzir máscara “face shield” na impressora 3D da Caesb. Inicialmente, os produtos seriam apenas para os operadores de estações de tratamento de água e esgoto, mas a mobilização e as doações dos próprios empregados permitiram que mais de 200 máscaras fossem doadas para hospitais e instituições que fazem atendimento à população.

Já em maio, a Caesb lançou uma campanha para arrecadar sabonetes e sabão em barra para doar às 400 famílias de crianças e adolescentes atendidos pelo Projeto Golfinho, desenvolvido pela Empresa e que atende crianças e adolescentes no contraturno escolar com aulas de natação, futebol, além de apoio pedagógico. A Companhia já conseguiu a doação de aproximadamente 12 mil unidades dos itens de higiene. A entrega às famílias começa na próxima quinta-feira (4/6).

A conferência é gratuita e aberta ao público de todo país. Para participar, basta fazer a inscrição: https://www.eventials.com/abesdn/o-voluntariado-nas-empresas-de-saneamento/

 

Pagina 15 de 55