Acessibilidade


08/06/24 - Atendimento da Caesb via WhatsApp completa dois meses

Ferramenta melhora relação com os clientes e reduz em 60% os gastos com serviços de telefonia da companhia

O atendimento via WhatsApp oferecido pela Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) a seus clientes completa dois meses hoje.  Lançada para comemorar os 55 anos da companhia, a ferramenta fez a empresa reduzir em 60% os custos com serviços de telefonia.  O dispositivo faz parte da política de aprimoramento da relação entre a companhia e os clientes, segundo Luís Antônio Reis, presidente da Caesb. O (61) 3029-8428 é o número do WhatsApp da Caesb, que pode ser usado por qualquer pessoa. 

Entre 8 de abril, quando o dispositivo entrou em operação, até o dia 4 de junho, foram realizados 7.345 atendimentos via WhatsApp. Deste total, 6.693 foram feitos de forma automática pelo Chatbot, que é um programa de computador que simula uma conversa com os usuários. Somente 652 demandas necessitaram de atendimento humano. Os serviços mais solicitados foram a emissão de segunda via e consulta de débitos, com 4.802 atendimentos. Já as demandas relativas à manutenção, como desobstrução de esgoto, verificação de falta d’água e pressão, conserto de vazamento no cavalete e na rua, totalizaram 1.891 atendimentos. 

Cristiane Siqueira, moradora do Lago Sul, é uma das clientes que já utilizaram o atendimento via WhatsApp. Ela conta que registrou um vazamento externo de água e que o problema foi resolvido. Cristiane disse que preferiu usar a ferramenta ao telefone convencional disponibilizado pela Caesb para reclamações (a Central 115) e que ficou satisfeita com o novo modelo de atendimento. 

Relação com o cliente

E é justamente essa transferência do uso da Central 115 para o WhatsApp que a Caesb está buscando, segundo o presidente da companhia. Luís Reis explicou que adoção da ferramenta é parte do trabalho de aprimoramento da relação com os clientes da empresa. “Melhorar os serviços que a companhia presta é uma luta diária da Caesb”, afirmou Reis. “Essa luta inclui, prioritariamente, o aprimoramento da comunicação entre a companhia e os nossos milhares de clientes. Esperamos que, cada vez mais,
o WhatsApp venha a ser a principal ferramenta para o cliente se comunicar com a Caesb”.  

Já o chefe da Ouvidora da empresa, Eduardo Soares, responsável pelo serviço da Central 115, enfatizou que “o atendimento pelo WhatsApp é uma tendência consolidada”. O dispositivo, segundo Soares, “é um instrumento moderno e obedece às regras da ei Geral de Proteção de Dados (LGPD), diminuindo riscos à Caesb, além de ser muito mais intuitivo e efetivo para o usuário final”.
Os outros serviços oferecidos pela Caesb, como agendamentos, alteração de titularidade e pedidos de ligação, podem ser acessados nos canais de atendimento oferecidos pela companhia, como o Portal de Serviços, o aplicativo Caesb e a Central 115.

Informe Educativo - Rede de Esgotos: a responsabilidade começa em casa

Sobre o Esgoto

Esgoto é o produto resultante da utilização da água para higienização e limpeza como lavagem de roupas, utensílios de cozinha, pisos, banhos, descargas de vasos sanitários, dentre outras.

Quando você abre a torneira, o chuveiro ou aciona a descarga do vaso, está iniciando a formação de esgotos. Essas águas, ainda dentro do imóvel, passarão por tubos, ralos e caixas de inspeção. Depois, seguem até as ruas, onde são conectadas à rede de esgotos, passam por poços de visita, estações elevatórias e se direcionam para tubulações de grandes diâmetros chamadas de coletores-tronco e interceptores. Os interceptores levam os esgotos até as estações de tratamento. Após tratados, são lançados em córregos, rios, lagos ou mar. 
 

Uso Consciente da Rede de Esgotos

- Lixo: O hábito de jogar lixo em pias, ralos e sanitários é prejudicial para a rede de esgotos. O lixo provoca entupimentos na rede, causando transbordamentos e o retorno de esgotos para seu imóvel. A responsabilidade com a rede de esgotos e com o meio ambiente começa em casa. Lugar de lixo é no lixo.

- Água da chuva: As ligações irregulares de água da chuva sobrecarregam a rede de esgotos. A vazão extra de água causa transbordamentos, e o esgoto pode retornar para seu imóvel. A responsabilidade com a rede de esgotos e com o meio ambiente começa em casa. Lugar de água da chuva é na rede de águas pluviais.


Recomendações:

  • Não jogue meias, fraldas, absorventes, lâminas de barbear, cotonetes, cigarros, areia, pneus e qualquer outro material sólido no esgoto ou no vaso sanitário. O material jogado e o esgoto podem retornar para seu imóvel.
  • Não desentupa o esgoto com produtos químicos. Utilize o desentupidor. Caso não funcione, experimente usar o arame.
  • Não descarte na rede de esgoto produtos como querosene, gasolina e solventes, pois podem causar explosões, colocando em risco a vida.
  • Água de chuva não é esgoto. A água dos pátios, telhados e áreas livres não pode ir para a rede de esgoto. Isso sobrecarrega a rede, e o esgoto vaza para a rua ou para dentro de sua casa.

Informe Educativo - Todo imóvel deverá ter um reservatório com capacidade para um dia

O Decreto nº 26.590, de 23 de fevereiro de 2006, nas “Disposições Gerais e Transitórias”, estabelece que: 

          Art. 66 - Todo imóvel com ligação de água deverá ser dotado de reservatório com capacidade para um dia de consumo. 

          Parágrafo único – A reservação e manutenção da qualidade da água após o hidrômetro, ou ponto de entrega, é de responsabilidade do consumidor.

 

O reservatório é importante para que você não fique sem água em sua casa, caso a Caesb precise fazer alguma manutenção na rede.

Além disso, esta caixa de água deve ser constantemente limpa (veja no menu "Educativo" como fazer a limpeza) e estar com a tampa bem fechada - para evitar entrada de sujeiras, insetos/animais e a proliferação do mosquito da dengue.

03/01/19 - Caesb consegue poupar Descoberto e o Santa Maria no ano de 2018

A Caesb conseguiu reduzir o volume de captação de água nas barragens de Santa Maria e do Descoberto, depois de ter ampliado a interligação do sistema e implantado as captações do Paranoá e do Bananal. A redução mais significativa ocorreu na captação do Santa Maria que baixou para 416,77 l/s, em média, no ano de 2018, o que representa apenas um terço do que foi captado em 2016 – 1.228,26 l/s, em média – e menos da metade do volume captado em 2017 – 993,92 l/s, em média.

A Companhia considera importante ter consolidado, de forma definitiva, o Santa Maria como um reservatório a ser utilizado mais intensamente no período de seca, podendo ser poupado, com mais intensidade, nos demais meses do ano. Em setembro de 2018, auge da seca, o Santa Maria chegou a contribuir com uma média mensal de 1.083,20 l/s, sendo de 825,30 l/s, em agosto, e de 993,45 l/s, em outubro.

O Descoberto também passou a ser poupado depois das obras de novas captações de água e de melhoria na interligação dos sistemas. Em 2018, a captação média foi de 3.392,92 l/s, uma redução de 1.383,97 l/s, ou cerca de 29% a menos do que o captado na média de 2016, que foi de 4.774,89 l/s. Com relação a 2017, período do racionamento, a redução em 2018 foi de 282,24 l/s em média, ou cerca de 7,6%. Naquele ano, a captação média foi de 3.674,16 l/s.

A Caesb destaca como fator importante dessa evolução do sistema de abastecimento as obras do Bananal e do Paranoá, bem como as intervenções que trouxeram mais flexibilidade, aumentando a capacidade de transferências entre os dois maiores sistemas da Companhia. Em 2017, quando entraram em funcionamento a partir do mês de outubro, o Paranoá contribuiu com uma média de 399,45 l/s, e o Bananal com 615,9 l/s.  Em 2018, essa contribuição foi ao longo de todos os meses, com média de 589,6 l/s no Paranoá, e de 555,92 l/s no Bananal.

Em dezembro do ano passado, com o nível do Descoberto chegando a 100% do volume útil, a Caesb voltou a abastecer as cidades do Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Park Way (quadras 1 a 5) e parte de Águas Claras pelo Descoberto, com um aumento médio de captação da ordem de 230 l/s. Mesmo assim, a média de captação no mês de dezembro foi de 3.681,97 l/s, praticamente a mesma média de 2017 e cerca de 23% menor que a média de 2016.

01/03/19 - Caesb vai reajustar a tarifa de água a partir de 1º de abril de 2019

A Caesb vai reajustar em 2,99% a tarifa de água a partir de 1º de abril de 2019. O percentual foi definido pela Adasa, em abril de 2018, e deveria ter entrado em vigor em junho do mesmo ano. Por ocasião do racionamento e do consequente desgaste para a população, a Assembleia de Acionistas da Caesb decidiu não aplicar o índice naquele momento.

A Companhia calcula perdas financeiras que somam R$ 100 milhões em decorrência do racionamento, causado por escassez hídrica. A defasagem da tarifa provocou desequilíbrio nas contas da Empresa e a consequente redução na capacidade de investimento, essencial para manter e aperfeiçoar os serviços à população. Vale ressaltar que o percentual de 2,99% é próximo à inflação do período, que ficou em 2,95%. 

A medida é um reforço no plano de saneamento das contas da Companhia, que hoje acumula um endividamento superior a R$ 1 bilhão. O presidente da Caesb, Fernando Leite, reafirma que a atual gestão está empenhada em ações para superar a crise financeira e levar a Caesb novamente ao patamar de melhor empresa de saneamento do País.

Pagina 1 de 83